CONTATO

Os interessados por orçamentos para consultas, aulas ou palestras , favor entrar em contato através do e-mail: terapeuta_instrutor_taichi@hotmail.com

MINHA PARTICIPAÇÃO NA 3ª EDIÇÃO DO TERRA VIVA - POR UM MUNDO MELHOR, FALANDO SOBRE" TAI CHI CHUAN "

MINHA PARTICIPAÇÃO NA 3ª EDIÇÃO DO TERRA VIVA - POR UM MUNDO MELHOR, FALANDO SOBRE" TAI CHI CHUAN "

"É NA BUSCA POR UM ALENTO QUE SURGE ESSE PENSAMENTO: PARTILHAR NUNCA SERÁ EM VÃO"

MUITA PAZ A TODOS!! ESPERO QUE DESFRUTEM DESSE HUMILDE ESPAÇO.
"Não ame simplesmente o que você faz, ame o próximo! Ame a pessoa que está à sua frente, que o procura com seus dramas e desejos. Existe um ser humano à sua frente que precisa se sentir importante. Quem trabalha com amor e por amor jamais vai tratar os outros como coisas ou como partes de uma engrenagem."

"Harmonizar nossas personalidades é o maior desafio que podemos encarar. As três qualidades que nos permitem melhor alcançar este desafio são: amor, misericórdia e perdão. Primeiro e mais do que tudo, para nós mesmos. Seja misericordioso e perdoe a si mesmo. E com amor, esqueça as coisas do passado e siga adiante. Então você será capaz de ter sentimentos reais de perdão e amor pelos outros. Esta é a forma mais verdadeira de ajuda"

MINHA NOVA SALA DE ATENDIMENTO PARA ALÍVIO DE DORES EM GERAL, NA REGIÃO DA AV PAULISTA

MINHA NOVA SALA DE ATENDIMENTO PARA ALÍVIO DE DORES EM GERAL, NA REGIÃO DA AV PAULISTA
RUA ITAPEVA, PROXÍMO AO METRÔ TRIANO, AO LADO DA FUNDAÇÃO GETÚLIO VARGAS

Quem tenta ajudar uma borboleta a sair do casulo a mata. Quem tenta ajudar um broto a sair da semente o destrói. A certas coisas que não podem ser ajudadas. Tem que acontecer de dentro pra fora.
Rubem alves


"Ser feliz sem motivo é a mais autêntica forma de felicidade"
Carlos D. de Andrade

"A melhor maneira de se começar o dia é imaginar como podemos dar alegria a pelo menos uma pessoa" Friedrich Nietzche

"Não há projeto senão o da Paz, do Amor, da Alegria. Todos os outros planos são fúteis"
Pierre Lévy

" O conformismo é carcereiro da liberdade e o inimigo do crescimento"
John Kennedy


A magia do Toque

Tocar alguém é como descobrir este alguém. Através do toque, podemos sentir, de fato, a presença física de algum objeto ou pessoa. Não é à toa que as crianças, ao pedirem para ver alguma coisa, imediatamente querem tocar. E os adultos, também imediatamente, comentam: "para ver não é preciso pôr a mão!" será que não ?!
Depende da profundidade com que se quer ver! Quando tocamos alguém, conseguimos experimentar e vivenciar este alguém. E as crianças nada mais querem ( e precisam) que experimentar, sentir, descobrir e viver a vida e sensações que ela pode oferecer.
Por isso e por muito mais, tocar é mágico! Assim como também é mágico deixar-se tocar, pois através desde contato essencial, pode-se chegar à alma de quem toca e de quem deixa-se tocar.
A mão sabe!
A mão sabe mesmo, e sabe muito. Sabe mais que o intelecto, porque experimenta. As mãos estão nas extremidades dos braços, são membros que partem da linha do coração, é a continuação do centro cardíaco. O coração é a mente maior, é a inteligência pura.
As pessoas têm a errônea impressão de que devem consultar seu intelecto quando têm algum problema, no entanto, o intelecto é apenas um gerenciador de "arquivos", ou seja, de memórias, de vidas. Mas a vida em si está no coração de cada um.
As mãos estão repletas de energias e , ao tocar alguém, há uma troca de vibrações personalizadas. Portanto, a postura de quem toca deve estar livre para que este canal de doação e recepção esteja aberto e limpo. Para que as mão falem a linguagem do amor e da compaixão e para liberar esta energia contida no coração, é preciso humildade, Quem toca deve se encher de simplicidade e mentalizar: " Eu não sei nada!"
O toque transformador deve estar pleno de humildade. A palavra humildade vem do prefixo hummus, que significa fertilidade da terra - aquela que esta vazia e pronta para receber

Pele e Psiquismo

Tocar faz a diferença

A pele é o órgão de transformação de estímulos físicos em comunicadores químicos e em estados psicológicos. Em qualquer época da vida, um contato terno e amoroso na pele produz a sensação de apoio, consolo, companhia e presença amiga; um contato rude e agressivo faz a pessoa sentir-se rejeitada, desprezada, invadida e provoca-lhe reação de defesa ou raiva.
Portanto, a pele, além de órgão envoltório do organismo, com múltiplas funções de proteção e equilíbrio, informa o sistema nervoso permanentemente sobre o que se passa no ambiente e gera imagens mentais, emoções e sentimentos o tempo todo.
Todo estímulo que ela recebe origina algum estado interior. E isso não se limita ao óbvio, como temperatura, tato e pressão, para os quais existem receptores nervosos na estrutura da pele. Mesmo ondas sonoras são percebidas; qualquer tipo de som é captado não só pelos ouvidos, mas por todo o corpo. O musicoterapeuta Stephen Halpern conta, no livro Som Saúde, que duas pessoas surdas foram levadas a uma boate por um amigo e, apesar de não possuírem audição, depois de certo tempo decidiram sair daquele local, porque estavam sentindo dores no corpo provocadas pelo som elevado.

A couraça muscular

Fato impressionante, porém, é o endurecimento que as pessoas sofrem através da vida, o qual torna sua pele quase insensível aos estímulos físicos. Primeiro, por causa das restrições, das proibições, das limitações, dos nãos e das manipulações através do medo, da vergonha e da culpa, todos fatores geradores de estresse e, conseqüentemente, de tensão muscular e cutânea; depois, pela sexualização do contato físico, também estressante, imposta por informações viciosas passadas pelos pais, por educadores e pelas religiões.
Essas tensões, repetidas e acumuladas nas aponeuroses, nos músculos e na pele, acabam por endurecer a tal ponto esses tecidos que formam o que Wilhelm Reich chamou "couraça muscular do caráter": a pessoa praticamente anestesia sua pele e não consegue sentir o contato amoroso ou o repele por sentir-se amedrontado por ele.
Isso causa um enorme prejuízo emocional à pessoa, porque a necessidade de contato físico, essencial na infância, permanece por toda a vida e faz o ser humano sentir-se vivo. E o primeiro ambiente onde as pessoas podem aprender a tocar-se é a família. Lamentavelmente é aí que elas aprendem a não tocar nem ser tocadas pelos motivos mencionados.
A falta de contato físico entre as pessoas isola-as nos seus envoltórios cutâneos e faz com que percam a percepção do amor dos familiares e amigos, que são essenciais ao bom funcionamento orgânico. Entre os adultos só se entende e aceita contato físico por interesse sexual, mesmo que seja praticado maquinalmente. Nas prisões, o pior castigo é a solitária, onde o detido fica privado de qualquer tipo de contato com outro ser humano.
Essa exigência básica da natureza humana faz com que todos os indivíduos anseiem sempre por contato de qualquer tipo, visual, auditivo ou tátil para se sentirem reconhecidos como pessoas. Desses três tipos, o mais intenso é sem dúvida o contato pele a pele, seja por um aperto de mão, por uma carícia suave ou por um abraço; quando o indivíduo está fechado para esse tipo de estímulo, um contato agressivo ainda é menos ruim do que nada, pelo menos ele está sendo reconhecido.
Os poucos que estão abertos ao contato espontâneo, os que consideram o contato como natural e benéfico, têm mais possibilidades de praticar atos tão lúdicos e prazerosos como dançar com parceiro ou parceira e estão mais aptos a ter atividade sexual consciente e satisfatória.

Toque e equilíbrio

Por isso é fundamental para a vida equilibrada que as pessoas toquem as outras, aceitem ser tocadas pelas outras e toquem a si mesmas. Para tal é preciso dessexualizar o contato físico e tocar como simples reconhecimento do outro, para transmitir amor, amizade e estímulo, e aceitar o mesmo da parte dos outros.
Assim também é imprescindível que a pessoa toque a si mesma praticando a automassagem, método da medicina chinesa, que estimula todos os órgãos através de pontos de ativação dos meridianos, presentes na superfície da pele. A automassagem coloca o ser humano em contato com sua própria existência e concorre para a formação de uma autoimagem positiva.
Portanto, o toque na pele, o contato com a superfície cutânea, por meio do sistema constituído por terminações nervosas, vasos, células imunitárias e comunicadores químicos faz a diferença entre uma vida com bons relacionamentos e uma vida de isolamento e depressão.

domingo, 29 de janeiro de 2012

BELA ENTREVISTA

Essa entrevista foi baseada em alguns dos textos que o autor escreveu ao longo da sua carreira em jornais, entrevistas e, principalmente, em publicações em seu Blog “Cantinho do Leitor”. Trechos em que o autor fala sobre a sua vida, paixões, sonhos, etc.


Leandro Flores. Artista condeubense. Escritor. Poeta. Brasileiro. Sonhador. É assim que você às vezes se define. Conte-nos um pouquinho mais sobre você.


- Acho que a primeira coisa a se dizer é que sou um cara muito feliz! Gosto de curtir a vida, acima de tudo. Não sei ficar parado, gosto de viajar, conhecer pessoas diferentes, ouvir música, de todos os estilos (me amarro em aventuras). Gosto de esporte, já fui goleiro (péssimo por sinal), gosto de malhar, correr de vez em quando (odeio sedentarismo).

Qual é a receita da sua felicidade?

- Amo minha vida. Gosto do que faço. Das coisas que consegui e não possuo grandes ambições. Sou feliz com o que tenho. Com o que sou. E acho que isso já é o bastante. Costumo levar a vida de maneira simples. Sem muitas complicações. Sem procurar entender as razões de algum eventual fracasso. Acho que essa é a receita da minha felicidade. Sou feliz porque tenho DEUS em meu coração. Ele me ouve sempre, me respeita da maneira que EU sou, me entende e isso já é tudo.


O que é Deus para você?

- Tenho Deus como um amigo. Não como um ser distante, duvidoso, que a gente é obrigado a gostar porque disseram que tem que ser assim. Deus é mais que isso. Amar a Deus não tem regra, nem fórmula, muito menos mecanismo. Ele sempre está comigo nas horas que eu mais preciso. Procuro agradecer quando as coisas andam bem e entendo perfeitamente quando acontece algo de errado.


Como você define a sua fé?

- Acreditar em algo é um dos valores mais extraordinários que existem dentro de cada um de nós, pois nos tornam vivos e mais humanos. O respeito a uma determinada convicção, deixar-se submeter a algum conceito de idéia no qual julga coerente, mesmo sem ter a plena certeza de que elas existem de fato.. Isso é a coisa mais incrível que conheço. E é também o meu conceito de fé.


Qual é a sua principal paixão?

- Minha principal e, talvez, única paixão é a vida. Do jeitinho que ela se apresenta mesmo. Não sou muito exigente (com a vida). Procuro acompanhar as coisas da maneira que consigo enxergar. Apesar de ser muito sonhador, procuro, às vezes, fincar os pés no chão e correr atrás dos meus objetivos. Respeitando as pessoas e sem ultrapassar os limites que a própria vida oferece.


O que você mais odeia em alguém?

- Odeio hipocrisia. Falsidade. Caretice. Gente de energias negativas. Me sinto mal ao lado de pessoas que não acreditam em si mesmas. Acho que tudo é possível, desde que conheça seus limites. Odeio também gente cafona, medrosas. Gente ultrapassada. Que levam tudo ao pé da letra.


Qual é o seu principal defeito?

- Meu pior defeito é a ingratidão, o egoísmo. Fora isso sou uma pessoa do bem. Não guardo rancores, não sou fofoqueiro (aliás, se tem uma qualidade que admiro em mim é a minha discrição). Meus segredos (e minhas treitas) irão comigo para o tumulo...


Como você se define?

Eu sou um pouquinho assim. Meio grande, meio pequeno. Às vezes sou tudo, às vezes, nada. Mas sou um cara de muita sorte e coragem. Sou extremamente tímido, teimoso, vaidoso, ansioso e simplista. Odeio pensar demais. Perder tempo com coisas desnecessárias. Gosto de desafios. Novidades. Vida nova. Expectativa. Ainda estou me redimindo dos meus vícios e manias. Mas já sou um bom garoto.


Fale-nos sobre os seus principais medos:

- Principal medo é ficar sozinho. Perder as pessoas que eu amo. Ser abandonado.


O que mais você gosta de fazer?

Adoro dar risada, barzinho, namorar, conhecer gente nova. Sou extremamente fiel aos meus amores. Meu idealismo. Mato e morro por uma causa que acredito. Gosto de ensinar, aprender, somar, dividir. Gosto de ajudar. Me sentir útil.


Qual é o seu cantor preferido?

Adoro Cazuza. Bob Marley. Alan Jackson, Rod Stewart, Raul Seixas. Fagner. Gosto também do Renato (aliás, quem não gosta, né). Toda música que tem um conteúdo bacana eu ouço, independente de quem estar cantando (até compro o CD se for possível). Só não perco o meu tempo com músicas estereotipadas. Sem originalidade.


Qual música define você? Ou melhor: como você define a música?

Para mim, a musica, é um caminho espiritual. É através dela que encontramos as variadas formas de nos Interoperabilizar nossa alma e nosso corpo. A musica é uma fonte para quem busca inspiração, por exemplo, (é o meu caso), ou só para quem procura prazer, seja na forma de se mostrar, insinuar ou também de se encontrar, camuflar. De qualquer forma, musica não se define, muito menos se despreza. É igual poesia, tudo é musica.


Fernando Pessoa definiu o poeta como um "ser fingidor". Você também se considera um fingidor em relação às coisas que você escreve?

Na maioria das vezes, escrevo o que não sinto. Falo de amor, paixão, loucura a dois, sem estar propriamente vivendo tais sentimentos. Mas não me considero um fingidor. Acho que quando o poeta descreve algum fato ou sentimento de certa forma ele vive ou já viveu o que está sentindo. Mesmo que no fundo da sua alma, mesmo que de “mentirinha”. O que não pode é confundir a criatura com o criador. Ou a obra com o autor. Nós poetas somos tradutores de sentimentos. Por isso, vivemos a dor de alguém, sem, no entanto, estar sofrendo de amor ou qualquer outro sentimento.


Onde você busca sua inspiração?

Nas coisas da vida. Nas pessoas. No dia a dia. Nas experiências vividas e naquelas que ainda anseio em viver, nos sonhos presentes em cada um de nós. Num cantinho reservado da alma em que talvez só os poetas consigam ir.


Falando em “sonhos”, como você os define?

Sonho é “o combustível” que move o sentido da nossa vida. É a essência, o adubo que nos vitamina e nos faz crescer. É o produto principal da nossa mente. É a razão para a nossa existência.


E que é o seu principal sonho?

Sonho em ver o artista sendo valorizado nesse país. Principalmente quem não tem a oportunidade de estar inseridos nas grandes emissoras de comunicação. Sonho com um Brasil futurista, representativo internacionalmente, porém, com a cabeça fincada em seu próprio corpo. E com todo o membro da sociedade trabalhando harmoniosamente para que esse futuro seja de todos nós, não somente para alguns.


Quais são as suas expectativas em relação ao mundo?

Acredito em socialização humana. Direitos e deveres iguais. Apesar de que isso pode ser interpretado como ingenuidade também. Mas sempre é bom acreditar.


Para concluir, deixe-nos uma frase para quem também acredita nos sonhos, assim como você.



Nunca deixe de sonhar. Só quem sonhou muito, realizou o que desejou.



FONTE:http://www.leandroflores.com.br/index.phpoption=com_flexicontent&vie =items&cid=103:sobre-mim&id=153:entrevista&Itemid=76

— com Ariane Muniz, Adriana Faustino, Ana Paula Brito, Flavio Martinez Sol, Lucas Ferreira Martins, Thiagu Souza, Neide Brito, Flávia Alves, Eliana Rocha, Maria Helena Maito, Ana Iza Saraiva, Gilvaneth Brito, Herzem Gusmão, Angel Mag, Ilmi Alves, Isabel Alves, Josilene Silva, Carla Brito, Rosana Paulo, Josue Ramiro Ramalho, Renata Santos, Jociane Calixto, Camilla Brito, Renata Rimet, Projeto Alma Brasileira Poemas, Katiara Lemos, Mirly Manoela, Maria Lucia Azevedo, Flor Morenna, Projeto Fala Escritor, Laiane Jardim, Bruno Gardell, Alessandra Meira de Oliveira, Giselle Quintão, Tairine Ceuta, Clarisse Queiros, Elisangela Alves Dos Santos, Luciene Moreira Nascimento, Valdeck Almeida de Jesus, Daniella Oliveira Silva, Ewerton Matos e Elaine Mesquita.

Nenhum comentário:

Postar um comentário